GRÃO MOGOL: BANDIDOS EXPLODEM COFRES DO BRADESCO E DO CORREIO

Alberto Sena

Primeiro eles explodiram o cofre da única agência do Banco do Brasil. Foi em sete de junho. Um mês e 11 dias depois, eles voltaram com a mesma sede. Explodiram a agência do Bradesco e dos Correios nesta madrugada, a 1h20.

É possível que seja a mesma quadrilha. Deve ter achado fácil explodir do cofre do BB, e como depois do assalto tudo continuou do mesmo jeito de antes, eles usaram da mesma estratégia, fugindo em direção da BR 251, rumo a Josenópolis, numa HB20x cor prata.

 

Nesta madrugada, a população de Grão Mogol acordou com a primeira explosão e o estampido de arma pesada certamente com o intuito de intimidar. Eles podem ter explodido três ou mais bananas de dinamite. Fizeram até os sapos e as jias do Ribeirão do Inferno pararem de coaxar.

O telhado da agência do Bradesco ficou todo comprometido. A situação do telhado podia ser vista do prédio ao lado, onde funciona o comércio do sr. Epaminondas. O impacto das explosões sacudiu vidros de janelas a distância.

Muita gente foi para a Praça Coronel Janjão, onde fica a agência do Bradesco. O panorama era o mesmo à porta da agência do Correio, que, em Grão Mogol vinha fazendo às vezes de Banco do Brasil. Tudo desabou lá dentro da agência, retirada do Bradesco se muito 200 metros.

Se com a explosão do cofre do BB a situação da cidade ficou lastimável, com reflexos na comunidade e principalmente no comércio, agora, sim, Grão Mogol vai precisar urgentemente de atenção por parte do governo estadual para o povo continuar sobrevivendo no dia a dia.

No comércio daqui há a figura do “freguês de caderno”. Geralmente é gente vivente na roça e quando é sexta-feira vem trazer produtos para vender na feira. Aproveitando faz compras para pagar por mês. Depois do assalto ao BB, muitos deixaram de vir acertar dívida no comércio local e ainda migraram para Salinas ou Francisco Sá.

Resta, agora, a agência lotérica, que faz as vezes de Caixa Econômica Federal. Se depois do ocorrido ao BB não se tomou nenhuma medida de segurança tanto para o Bradesco como Correio e Lotérica, é possível que d’agora para frente algo aconteça neste sentido.

Pouco depois das explosões ouvidas nesta madrugada, e após a fuga dos bandidos, nas imediações das agências do Bradesco e Correio só foi visto um carro da Polícia Civil. Segundo diziam, os homens do Pelotão da Polícia Militar estariam “perseguindo os bandidos”.   

Grão Mogol é terra natal do atual secretário de Estado da Fazenda de Minas Gerais, José Afonso Bicalho Beltrão da Silva. Se, desta vez, ele não olhar para a cidade onde nasceu, Grão Mogol estará, como se diz, “no mato, sem cachorro”.

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar