TROFÉU PADRE ADERBAL MURTHA DE ALMEIRA

 

DONA PALMYRA, 97 ANOS, É O DESTAQUE CULTURAL DE 2017 DA ACADEMIA MONTES-CLARENSE DE LETRAS

Itamaury Teles, da Redação.

A ACADEMIA MONTES-CLARENSE DE LETRAS, em reunião ordinária na noite de ontem, 27.07, aprovou o nome da escritora PALMYRA SANTOS OLIVEIRA (foto) para receber o Troféu Padre Aderbal Murtha de Almeida, como Destaque Cultural de 2017, por indicação da acadêmica Raquel Mendonça.

Criado ano passado, o Troféu visa homenagear quem mais se destacou no cenário cultural da região Norte-Mineira, e será entregue em sessão solene, durante as comemorações dos 51 anos de fundação da referida Academia, no dia 13 de setembro de 2017.

Blue moons & Croissants

Itamaury Teles (*)

Muitos dos que lerem o título dessa crônica poderão ficar imaginando que salseiro pretendo fazer, colocando num mesmo balaio “blue moons” e “croissants”. 

Embora pareçam coisas díspares, têm muita afinidade entre si, pois ambos os termos se relacionam à lua, como veremos. 

O fato é que, de há muito, venho querendo escrever sobre as influências desse satélite natural sobre nós. Esse pensamento é recorrente, sempre que desponta no horizonte uma Lua Azul. E ela é muito mais bela quando nasce no sertão mineiro, na zona rural, por detrás da mata. Parece uma bola de fogo. Algo indescritível, de tanta boniteza, como gostava de dizer o cronista sertanejo João Valle Maurício, de saudosa memória.

Calcinha Jatiboca

Itamaury Teles (*)

Poderosos fetiches capazes de instigar a fértil imaginação masculina, as calcinhas femininas sempre ativaram a libido e evocaram pensamentos de alcova.

Desde a época das prosaicas calcinhas estilo V-8,  até as modernas fios-dentais, que ocultam apenas o essencial – logo o essencial, que é invisível para os olhos, segundo Saint Exupéry - os estilistas se utilizam de técnicas infalíveis para sensibilizar e motivar os que terão a nobre missão de desvesti-las...

Essa peça íntima feminina virou até objeto de coleção. O falecido cantor Wando, deixou um incrível legado de 15 mil calcinhas, atiradas pelas fãs sobre o palco durante seus shows de música romântica...

LUIZ DE PAULA, VOVÔ CENTENÁRIO

Itamaury Teles (*)

Oh, como é bom e agradável falar de amigos. Principalmente de um amigo a quem Deus concedeu-lhe a honra e a glória de romper a barreira dos 100 anos. 

Embora haja quase 40 anos a nos separar na existência terrena,  orgulha-me ter Luiz de Paula Ferreira – ex-companheiro do Rotary Clube Montes Claros,  irmão da Loja Maçônica Deus e Liberdade, e confrade da Academia Montes-clarense de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico de Montes Claros - no rol dos amigos do meu bem querer. Um homem bom, justo e altruísta, por natureza. 

Viagem de Rural

Itamaury Teles (*)

O ano era 1973, lembro-me bem, pois já  havia  servido  no Tiro de Guerra 04/087, em Montes Claros. O cabelo comprido, nas fotografias da época, em nada  lembrava do corte "Príncipe Danilo" a nós imposto durante o ano de caserna. Além disso,  fazia curso preparatório ao vestibular  e  trabalhava como repórter no “Diário de Montes Claros”.

Costumava viajar, com alguma freqüência,  para outras cidades da região, normalmente em períodos festivos, para produzir matérias jornalísticas. Na maioria das vezes, de carona ou com recursos próprios, já  que o jornal não podia nos dar mordomia alguma. Mas tudo funcionava relativamente bem, pois éramos, na maioria das vezes, muito bem recebidos e cortejados.

Um certo Júnior

Itamaury Teles (*)

A velha locomotiva Maria-fumaça apitou na curva antes de ser vista da plataforma da pequena estação de Glaucilândia. Antônio ali estava em pé, ansioso. Era a primeira vez que ia à Capital, para fazer um tratamento de saúde.
Sua mulher ficava toda orgulhosa em dizer o problema do marido, mesmo sem ter a mínima noção do que se tratava. Mas, pelo só fato de ser uma doença diferente, enchia-se de brios, botava o dorso da mão direita na cintura gorda e chegava a revirar os olhos para dizer:
    - O Tóim tá cum pobrema na pleura... - Gostava da sonoridade da palavra pleura.
E as comadres, também sem nada entender, mas para não darem o braço a torcer, admiravam-se:
    - Tá cum pobrema na pleura, cumade? Logo na pleura?

João Walter e os males e benefícios do álcool

Itamaury Teles (*)

 (À MEMÓRIA DO AMIGO JOÃO WALTER GODOY MAIA, QUE SE ENCANTOU ESTA SEMANA)

 Estudo publicado na revista científica “Annals of Internal Medicine” (Anais de Medicina Interna) concluiu que pessoas com pressão arterial alta podem ser beneficiadas se ingerirem bebidas alcoólicas em pequenas quantidades e de forma regular. 

Essa descoberta científica não deve ser usada, todavia, como desculpa para se tomar um porre, pois especialistas continuam alertando que o álcool em excesso provoca efeito contrário, aumentando a pressão sanguínea.

DEPILANDO OVOS

Itamaury Teles (*)

Depilando perereca foi o título de uma crônica que escrevi, tempos atrás, em que reproduzia trechos de depoimentos de uma amiga - que pediu para não ser identificada – sobre a tortura física a que fora submetida, durante uma depilação cavada, para agradar seu parceiro.

Embora fosse relato verdadeiro, de algo muito comum entre as mulheres, algumas leitoras manifestaram-se melindradas com certas frases reproduzidas, segundo  elas muito indecentes para as páginas de um jornal, mesmo eu tendo feito uso de eufemismos, à exaustão...

Uma vetusta personagem montes-clarense, inclusive, chamou-me no canto para dizer-me que gostava de tudo que eu escrevia, com exceção da crônica sobre a “bucleta”. Mas ela falou o palavrão, mesmo! Quando eu contemporizei, sorrindo, que escrevera sobre perereca, ela me contestou, de chofre: - É tudo a mesma coisa. Você não me engana!

UM CERTO GUARDA-ROUPA COM ESPELHO

Itamaury Teles (*)

Navegando placidamente pelas águas do Facebook - umas das mais poderosas redes sociais da Internet -, deparei-me com uma estranha e esdrúxula oferta de venda, de um antigo guarda-roupa com espelho, que, pela beleza, atraiu minha atenção.  

Nos dias atuais, recheados por novidades de toda natureza, espécie e  gênero, trazidas a lume pela grande imprensa ou por meios alternativos de divulgação,   fica cada vez mais difícil o sentimento de  estranheza com relação aos fatos publicados. As revelações têm sido tantas e amplas que perdemos a capacidade de análise crítica, para separarmos o joio do trigo, o vero do “fake”... 

Com efeito, surgiram muitos sítios eletrônicos especializados em desvendar a veracidade de certos fatos divulgados, o mesmo acontecendo com o “Fantástico”, programa dominical da Rede Globo de Televisão, que tem um quadro investigativo para vídeos que chamem a atenção pelo seu inusitado.

Causos médicos

Itamaury Teles (*)

A medicina é, reconhecidamente, uma profissão atraente e fascinante. Alguns até a comparam com o sacerdócio, tal a dedicação diuturna, o envolvimento e o comprometimento das pessoas que a escolhem como missão de vida.

Nos últimos anos, houve um avanço significativo nas técnicas postas à disposição dos profissionais da saúde, para facilitar as buscas da natureza e da causa das afecções, com a utilização de aparelhos sofisticados que mapeiam o corpo humano – em busca de anomalias orgânicas – de forma nem sempre invasiva, como nas tomografias computadorizadas.